O mito da onça-preta

     

"Onça-preta" é a forma melânica de onça-pintada, e constitui um dos poucos animais na terra que ainda não foi filmado em estado selvagem.

Ela tem muitos nomes, se escuta a longas distâncias e as suas histórias são transmitidas de geração em geração. Existem muitos mitos locais e alguns deles garantem que a onça-preta é maior, mais feroz e mais esquiva que a onça-pintada. Mas não existe nenhuma prova disso...

A onça-pintada em geral e a onça-preta, em especial, ocupam lugares de destaque entre os animais na mitologia das Américas Central e do Sul. O hábito de se mover em cavernas, em rios e de subir em árvores tornam a onça um mediador dos espíritos do céu e da terra. O homem quer imitá-la para se identificar com ela e para ser protegido e desafiado pelo supremo predador da mata.

Os mitos sobre a onça-pintada existem desde as civilizações Maia e Asteca, governadas por sacerdotes-onça que controlavam as diversas facetas das vidas das pessoas. Os Maias as consideravam deuses e avatares (descendentes de deuses). Para os Astecas ela não era vista como uma entidade protetora, mas como um devorador da humanidade. Entre os índios Yanomani do noroeste do Brasil, a lenda conta que os primeiros homens na terra nasceram da união da índia curare com a onça-pintada.

 

 

Os mitos e lendas permanecem e continuarão sendo contados nos poucos recantos da terra onde este misterioso rei da selva vive a sua vida solitária... sem se mostrar ao homem ou à sua presa... deixando apenas rastros e restos de vítimas... ou às vezes nem mesmo um sinal da sua passagem.

Até agora as onças deixaram equipes de filmagem de mãos abanando!

Mesmo a menos esquiva onça-pintada continua um mito para a maioria das equipes de filmagem do mundo. Muitos tentaram e desistiram. Apenas alguns, com muita persistência, ousaram permanecer meses no mato conseguindo apenas um olhar rápido sobre este predador fugidio. 

Infelizmente, na maioria dos documentários sobre onças-pintadas, o espectador é enganado com animais treinados ou em cativeiro que aparentam comportar-se naturalmente em frente à câmera.

Quando se trata da onça-preta, entretanto, mesmo se utilizando desta estratégia, ninguém nunca conseguiu filmar uma. Este fato não é de se surpreender uma vez que somente 6% da população de onças é preta! Para completar, a onça-preta prefere as selvas mais profundas e fechadas, como a impenetrável floresta tropical da Amazônia. Procurar por esta esquiva espécie, então, é como procurar 'uma agulha num palheiro'.